Autor

21 de dezembro de 2013

Gozar com o pagode

Mas alguém leva a sério um MEC que pretende avaliar as competências e capacidades dos professores aplicando uma prova a desempregados?

18 de dezembro de 2013

Afinal a prova existe porque Nuno Crato tem dúvidas sobre os professores licenciados por Escolas Superiores de Educação...

... e não sobre os licenciados por Universidades!

Ver minuto 6:00

As duas versões da prova e os critérios de classificação


100001


100002


Critérios de Classificação

Metade dos inscritos não fizeram a prova. 40 escolas sem prova.

Ler aqui: http://www.tvi24.iol.pt/503/sociedade/prova-paac-professores-inscritos-sindicatos-fenprof/1520604-4071.html

"Estamos contentes com o trabalho que hoje produzimos para o ministério da educação"

Filinto Lima*, em declarações à RTP, numa espécie de assédio ao MEC. Uma vergonha!

*vice-presidente da Associação Nacional de Directores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP), e também director de um agrupamento de escolas em Vila Nova de Gaia

Afinal não somos todos professores...

... uns são directores, outros vigilantes!

No blogue: A Educação do meu Umbigo - Os Óbvios Grandes Derrotados Do Dia

Ler aqui: http://educar.wordpress.com/2013/12/18/os-obvios-grandes-derrotados-do-dia/

Uma vergonha!

Até escolas militarizadas houve! Polícia à porta das salas!

16 de dezembro de 2013

Escola Municipal arranca em Setembro com recrutamento docente feito pelo município

Revolução das escolas começa em Óbidos

Até ao final deste mês, o Ministério da Educação e Ciência (MEC) deve alterar toda a legislação necessária para que arranque no próximo ano lectivo a primeira escola municipal do país com total autonomia pedagógica. Foi esse o compromisso assumido com a Câmara de Óbidos, concelho que servirá de projecto-piloto.


PACC: A reles estratégia de convocar reuniões de avaliação para a hora da prova

“Convoquei para esse dia todos os professores da escola – 160 – e como a prova é um serviço prioritário, até posso chamar os que estão em reuniões de conselho de turma para fazer a vigilância, se for necessário. A adesão terá de ser muito forte para que elas não se façam. E é preciso ter em conta que os professores, de uma forma geral, não estão muito disponíveis para verem reduzidos os seus rendimentos com a greve”, comentou Filinto Lima

Ler mais: http://www.publico.pt/sociedade/noticia/directores-preocupados-com-seguranca-durante-a-prova-para-professores-1616514

Chama também a tua tia!
Serviço prioritário? Nem serviço docente é, quanto mais prioritário!
Chapéus há muitos...