Autor

17 de setembro de 2013

Contratação de escola - Vamos lá explicar mais uma "manha".

O que se passa quando chega um e-mail para "dar seguimento ao disposto no Decreto-Lei n.º 132/2012, de 27 de junho no Art.º 39, ponto 9" e passado minutos aparece o candidato seleccionado?

"Exmo.(a) Sr.(a),
......., com o número de utilizador ......., cumpre o presente e-mail dar seguimento ao disposto no Decreto-Lei n.º 132/2012, de 27 de junho no Art.º 39, ponto 9, pelo(a) XXXXXX - Agrupamento de Escolas de ........., ......., na oferta n.º XX.
Para dar seguimento ao processo de seleção deve entrar em contacto com a escola."

Resposta: A escola/agrupamento, com ou sem informação adicional na aplicação de candidatura da DGAE, coloca (e bem) um edital na página da escola mas no qual é referido (e mal) que é necessário responder aos subcritérios antes do fim da candidatura e que quem não o fizer é excluído. Ver ponto 8:

Artigo 39º do Decreto-Lei n.º 132/2012 de 27 de junho


Explicado com vídeo:

Ilegalidades nas contratações de escola na mira do ministério

 "Sobre outra questão que está a ser falada nas redes sociais – mas que o PÚBLICO não conseguiu confirmar – o MEC respondeu que, “caso haja denúncias de situações de professores dos quadros a concorrer em oferta de escola, essas serão averiguadas”."

Comentário: A questão em causa é a que aqui coloquei ontem e da qual o Arlindo Ferreira, o Paulo Guinote e o Ricardo Montes fizeram o favor de fazer eco nos seus blogues. Esta:

Como é que um professor alegadamente do quadro concorre e é seleccionado em Contratação de Escola?


Hoje, pela manhã, contactei a DGAE, que confirmou a situação na plataforma. Depois de consultada a hierarquia interna foi-me dito que iriam consultar a escola e por termo à alegada ilegalidade. Entretanto, pelo que é possível verificar na plataforma, a situação ainda não foi resolvida.

Circular da DGAE sobre a seleção no concurso da contratação de escola