Autor

14 de outubro de 2013

O fim do concurso anual de professores...

... e reforço da contratação de escola amigos, conhecidos, namorados e até cônjuges. 


Até onde vai a importação de modos menos transparentes aplicados pelos países mais corruptos? 

E querem nos fazer pensar, estes chico-espertos, que o modelo aplicado no privado, onde o patrão emprega quem quer, é passível de aplicação isenta pelos gestores da coisa pública. Estes fundamentalistas do privado não enxergam sequer as identidades e os diferentes contextos dos dois sistemas e andam para aí a pôr os palpites em letra de lei!

Um quarto das escolas terá autonomia antes de Janeiro