Autor

15 de janeiro de 2017

Vinculação extraordinária para (alguns) professores com 12 ou mais anos de serviço

Acredito no objectivo inicial do ME de vincular os professores com mais anos de serviço e que, devido às limitações do Ministério das Finanças, se associou aos tais 4380 dias de serviço uma vez que a capacidade de vinculação encontrada é de pouco mais que 4000 vagas.

Durante o processo negocial com os sindicatos o ME apresentou três propostas de Portaria. As duas primeiras propostas tinham requisitos que entretanto, e bem, foram eliminados, mas como a capacidade de vincular está limitada, o ME encontrou um requisito que lhe permite, e mais uma vez bem, associar a cada horário completo e anual em 2016/17 uma vaga. Contudo, com este novo requisito e apesar de conseguir consolidar a fórmula certa para chegar ao número de vagas possíveis, o ME desvirtuou o objectivo de vincular os professores com 12 ou mais anos de serviço. Assim, a introdução deste requisito fará com que muitos professores, que até vinculariam segundo as duas primeiras propostas, agora, por terem sido colocados noutro tipo de horário que não completo e anual, em muitos casos, mais cedo do que os colegas que cumprem o requisito, fiquem fora da vinculação.

Não pode, portanto, o ME dizer que vai efectivar os docentes com 12 anos de serviço, mas espero que tenha a noção que será o responsável por uma vinculação ainda mais injusta, dada a sua dimensão, que a vinculação pela norma-travão. 

A marca de uma vinculação extraordinária injusta ficará associada a este ME se este não tiver a sabedoria e competência de saber usar as vagas de forma justa:
  • Abrir todas as vagas correspondentes às colocações em Contratação Inicial e Renovação de Contrato deste ano, em horário completo, porque anuais já são todas (isto perfaz 4642 vagas). Não deixa de ser curioso que em contrato anual e completo na CI, em REN e na RR1 e RR2 foram colocados 4.751 docentes com mais de 4014 dias de serviço em 31/08/2015.
  • Permitir que os docentes dos quadros primeiramente concorressem a estas 4642 vagas;
  • Recuperar cada uma das vagas libertadas pelos docentes dos quadros para criar nova lista de vagas de QZP (as mesmas 4642 vagas),
  • Permitir que todos os docentes com 4380 dias de serviço em 31/08/2016 e 4 ou 5 contratos nos últimos 6 anos, independentemente do grupo de recrutamento de colocação nestes anos todos pudessem concorrem em pé de igualdade (ou seja, pela graduação) para obtenção de lugar de QZP. Sendo indiferente o número de anos de serviço, já que as vagas são as mesmas, poderiam permitir que quem tivesse 10 anos de serviço em 31/08/2016 também pudesse concorrer.
  • Permitir que os docentes contratados apenas pudessem concorrer a um grupo de recrutamento, grupo este da sua última colocação.
Nota: os últimos 5 pontos são da autoria do Arlindo Ferreira

Uma proposta justa de vinculação (autoria do Arlindo)


  • Abrir todas as vagas correspondentes às colocações em Contratação Inicial e Renovação de Contrato deste ano, em horário completo, porque anuais já são todas (isto perfaz 4642 vagas). Não deixa de ser curioso que em contrato anual e completo na CI, em REN e na RR1 e RR2 foram colocados 4.751 docentes com mais de 4014 dias de serviço em 31/08/2015.
  • Permitir que os docentes dos quadros primeiramente concorressem a estas 4642 vagas;
  • Recuperar cada uma das vagas libertadas pelos docentes dos quadros para criar nova lista de vagas de QZP (as mesmas 4642 vagas),
  • Permitir que todos os docentes com 4380 dias de serviço em 31/08/2016 e 5 contratos nos últimos 6 anos, independentemente do grupo de recrutamento de colocação nestes anos todos pudessem concorrem em pé de igualdade (ou seja, pela graduação) para obtenção de lugar de QZP.
  • Permitir que os docentes contratados apenas pudessem concorrer a um grupo de recrutamento, grupo este da sua última colocação.

Esta seria a forma mais justa para os docentes do quadro que também pretendem lugar para os quais não podem concorrer e para os docentes contratados que não serão ultrapassados por factores de sorte e/ou azar nas colocações.
As listas que estou a produzir permitem-me verificar as injustiças todas das duas propostas de vinculação extraordinárias apresentadas até hoje.
Se a última proposta acaba por privilegiar a graduação profissional dos docentes, não é menos verdade que também cria muitas situações de injustiça.
E era tão simples fazer-se o que aconselho em cima.

Fenprof chega a acordo sobre concursos por 111 vinculações!!!


20 horas = 111 vinculações



RESPEITO!!!

Aos colegas que andam com o “rei na barriga” por causa de estarem colocados em 2016/17 em horário completo e anual, lembro-lhes que:

  • para se concorrer a horários de código 2, 3 ou 4, primeiro TODOS concorrem a horário de código 1 - HORÁRIO ANUAL E COMPLETO!!!
  • se todos os colegas do seu(s) grupo(s) concorressem só a horários completos anuais e completos possivelmente quem agora está com o “rei na barriga” poderia estar desempregado!!!
  • muitos colegas não podem arriscar um concurso de TUDO ou NADA, ou seja, horário anual e completo ou desemprego!!!
Respeitem as opções dos outros como os outros respeitam e admiram a vossa!

Vinculação - Mário Nogueira: 22 horas é muito injusto! Então propõe 20 horas e se assim for haverá acordo!

Ver minuto 1:15