Autor

13 de março de 2017

ZERO, de direita, à esquerda


"No limite se nós acharmos que ninguém pode ter uma vida profissional antes de cargos governativos, então vamos ter um problema muito grande porque só podem ser governantes professores, académicos, professores de liceu e gente que não tem uma vida privada. Vale a pena perguntar se é o sistema que nós queremos e se é essa democracia que queremos construir", disse Assunção Cristas aos jornalistas quando confrontada com as notícias sobre a atividade de Paulo Núncio como fiscalista.